Associação dos Produtores e Comerciantes de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul

Quarta-feira, 28/06/2017. Bom dia. Seja Bem-vindo(a)!

Bolsa de Sementes

Consulte aqui a disponibilidade de sementes de nossos associados.

Legislação

Consulte aqui a legislação sementes/agrícola.

Associados

Área Restrita.

Esqueceu a senha?

Setor sementeiro uruguaio participa do II Encontro de Produtores de Sementes do RS - 14/08/2013

Consolidando-se como um evento internacional, o II Encontro de Produtores de Sementes do RS e Treinamento de Responsáveis Técnicos reuniu, também, diversos representantes do setor sementeiro uruguaio. Com isso, os participantes do evento conheceram as diferenças entre os sistemas dois países.
O gerente de certificação de sementes e plantas do INASE (Instituto Nacional de Sementes do Uruguai), Guillermo Sanguinetti, disse que o objetivo do órgão público é incentivar o uso e a produção de sementes de qualidade superior e de identidade comprovada, atuando como um articulador dos interesses públicos e privados.
Sanguinetti explicou a divisão das categorias de sementes no Uruguai: Pré-Básica, Básica, Certificada (1 e 2) e Comercial (A e B). As categorias comerciais, segundo ele, não são certificadas, mas são produzidas a partir de materiais certificados e são controladas pelo sistema.
De acordo com o gerente do INASE, o Uruguai apresentou um aumento na área de produção de sementes certificadas. Isso se deve, segundo ele, ao sistema adotado pelo país, que contempla dois modelos: a certificação convencional e a acreditada. A certificação convencional é feita exclusivamente pelo INASE. Já a acreditada, é realizada pelas empresas produtoras de sementes sob a supervisão do Instituto.
Nicolás Abreu, gerente de controle de comércio e estatísticas do INASE, afirma que a certificação de sementes no país apresenta grandes discrepâncias. Na cultura de cevada, por exemplo, o índice de certificação é muito baixo, enquanto na do arroz a maioria das sementes são certificadas. Para Abreu, o grande desafio do setor sementeiro uruguaio no momento é o combate à informalidade de sementes de espécies forrageiras.
Rafael Reyno, do INIA (Instituto Nacional de Pesquisa Agropecuária do Uruguai), apresentou o que está sendo feito em relação ao melhoramento genético de espécies forrageiras no país. De acordo com ele, tem se buscado características como capacidade de rebrote, tolerância ao frio e ao pastoreio.
O II Encontro de Produtores de Sementes do RS e Treinamento de Responsáveis Técnicos aconteceu de 7 a 9 de agosto de 2013 em Santana do Livramento. Foi promovido pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), através do SEFIA/RS (Serviço de Fiscalização de Insumos Agrícolas/Superintendência Federal de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul) e CSM/RS (Comissão de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul), com o Apoio da APASSUL (Associação dos Produtores e Comerciantes de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul) e da Fundação Pró-Sementes de Apoio à Pesquisa. O evento teve o apoio da ABRASEM (Associação Brasileira de Sementes e Mudas) e da SAA (Seed American Association), bem como das entidades que constituem a CSM/RS: APASSUL, SULPASTO, FUNDAÇÃO PRÓ-SEMENTES, FARSUL, EMATER, FUNDACEP (CCGL Tec), IRGA, FEARROZ, MAPA (SEFIA e LANAGRO/RS), CREA/RS, SARGS, FECOAGRO, FEPAGRO, EMBRAPA, UFPel, UFRGS e UPF.

Rua Apassul, 10, Bairro São Geraldo
Passo Fundo - Rio Grande do Sul - CEP 99025-130
Fone: (54) 3314-1799 / Fax: (54) 3314-6123
apassul@apassul.com.br