Associação dos Produtores e Comerciantes de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul

Sábado, 19/08/2017. Boa noite. Seja Bem-vindo(a)!

Bolsa de Sementes

Consulte aqui a disponibilidade de sementes de nossos associados.

Legislação

Consulte aqui a legislação sementes/agrícola.

Associados

Área Restrita.

Esqueceu a senha?

Encontro de Produtores de Sementes reúne público recorde em Santana do Livramento - 15/08/2014

Entre os dias 11 e 13 de agosto de 2014, o III Encontro de Produtores de Sementes do RS e Treinamento de Responsáveis Técnicos reuniu mais de 400 pessoas em Santana do Livramento, número que consolida o crescimento anual do evento.

“O encontro surpreendeu positivamente pela efetiva participação do público, principalmente dos responsáveis técnicos”, avalia Antonio Eduardo Loureiro da Silva, presidente da Comissão de Sementes e Mudas do RS (CSM/RS) e diretor da Associação dos Produtores e Comerciantes de Sementes e Mudas do RS (APASSUL), responsável pela organização do evento. “Acredito que a programação, que foi elaborada com muito esmero, atingiu os resultados esperados, despertando o interesse dos participantes”, complementa.

Homenagem
Na noite do dia 11, a CSM/RS concedeu ao obtentor Ottoni de Sousa Rosa o Prêmio Mérito pelo Empreendedorismo em Sementes. Engenheiro agrônomo e mestre em melhoramento de plantas, o homenageado dedicou mais de 50 anos à produção de sementes e ao desenvolvimento de cultivares de trigo, atuando na iniciativa pública e privada. Foi chefe geral da Embrapa Trigo de Passo Fundo e é fundador da empresa OR Sementes. Ottoni de Sousa Rosa recebeu uma placa de bronze e uma medalha de ouro das mãos de Antonio Eduardo Loureiro da Silva, presidente da CSM/RS, e de Francisco Natal Signor, superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no RS.

Cooperativismo
O papel do sistema cooperativo gaúcho no processo de pesquisa e produção de sementes foi o tema discutido no primeiro painel do evento. A mesa contou com a presença de Paulo Pires, presidente da Fecoagro, Gelson Melo de Lima, da Cotrijal, e André Barreto, da Fearroz. Os debatedores destacaram a importância da semente como vetor de difusão de tecnologias no campo e a ligação direta deste insumo com o setor cooperativo. Também defenderam o pagamento de royalties como forma de retroalimentar o sistema e remunerar a pesquisa.

Arroz Irrigado
Ricetec, Bayer e Basf apresentaram suas novas tecnologias para a cultura do arroz irrigado. A qualidade da semente foi destacada como um fator essencial para o bom desenvolvimento das lavouras e para a obtenção de um produto com as características exigidas pelas indústrias. Por outro lado, as plantas daninhas foram apresentadas como um dos principais problemas enfrentados pelos orizicultores. Neste contexto, a rotação com a soja foi destacada como uma alternativa viável em algumas áreas do RS.

Forrageiras
Cristiano Gotuzzo, do Senar/RS, debateu com o produtor Gedeão Avancini Pereira a produção de sementes de forrageiras na integração lavoura-pecuária. O sistema foi apresentado como uma forma de agregar uma terceira renda à propriedade, juntamente com a criação de gado e o cultivo de soja, diversificando a produção e escalonando o lucro.

Legislação
O coordenador de sementes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, André C. Peralta da Silva, apresentou obrigações, direitos e penalidade previstos na legislação brasileira de sementes. De acordo com ele, no Rio Grande do Sul, a fiscalização está focada no combate à clandestinidade e à pirataria. “A taxa de conformidade é alta e a maioria das penalizações é aplicada para quem está fora do sistema legal”, informou Silva.

A produtora de sementes Verônica Bertagnolli, da Sementes e Cabanha Butiá, ressaltou a importância do apoio do Ministério aos sementeiros e questionou o aumento do valor da taxa de inscrição de campos de produção. Ela e o responsável técnico da Van Ass Sementes, Mário Gallas, criticaram a concorrência gerada pela semente salva para uso próprio. “No RS, a maioria das sementes é salva; por isso, o produtor de sementes tem que fazer um insumo melhor que o dos agricultores”, enfatizou Gallas.

Trigo
De acordo com o chefe-geral da Embrapa Trigo, Sérgio Dotto, apenas 19% da área destinada a culturas de verão no RS é utilizada para o cultivo de inverno, o que demonstra o potencial de crescimento do trigo no estado. Dotto debateu a produção de sementes de trigo e sua correlação com a qualidade industrial do grão com representantes da CCGL Tec, da Biotrigo e da OR Sementes. Com a demanda da indústria moageira por trigo para panificação, os produtores passaram a procurar cultivares com as características exigidas pelos moinhos. Nesse sentido, o triticultor está buscando atingir bons resultados não apenas em produtividade, mas também em qualidade. O pesquisador da Embrapa Trigo e professor da Universidade de Passo Fundo, Osmar Rodrigues, palestrou sobre ecofisiologia aplicada à produção de sementes de trigo.

Tratamento Industrial de Sementes
Tema que gerou uma rica discussão durante o evento, o tratamento industrial de sementes foi o assunto tratado por José Neumar Francelino, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Rodrigo Minguini, da Bayer, Antonio Eduardo Loureiro da Silva, diretor da APASSUL, Efraim Fishmann, presidente da APASSUL e produtor de sementes, Hamilton Jardim, da Farsul, César Ferreira, do CREA/RS, Rita de Cássia Crasselli, da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do RS, e Gaspar Santada, da Sociedade de Agronomia do RS (SARGS).

Foram levantadas questões referentes legislação de sementes, ambiental e trabalhista, além de recomendações técnicas, receituários agronômicos, uso e comércio.

O setor sementeiro se mostrou interessado em buscar esclarecimentos acerca do tema. Por isso, foi proposta a criação de uma comissão com representantes de entidades estratégicas para discutir a questão e propor uma legislação sobre a semente tratada.

Soja na metade sul do RS
O preço da soja foi apontado como um dos principais motivos da ampliação do seu cultivo em áreas da metade sul do Rio Grande do Sul. Representando a Cooplantio, Gaspar Santana lembrou que a rotação da oleaginosa com o arroz contribui para o controle do arroz vermelho. De acordo com ele, cabe ao setor sementeiro buscar materiais aptos à região.

Francisco Vernetti Junior, da Embrapa Clima Temperado, disse que o caminho para o desenvolvimento da cultura é o melhoramento genético para que sejam identificadas cultivares com tolerância à seca e ao excesso hídrico. Ele também apresentou estratégias de manejo da água, como a drenagem por meio de camalhões de base larga, sistema indicado pela Embrapa para áreas planas e de declives uniformes.

Cleiton Steckling, da CCGL Tec afirmou que a cultura de soja em terras baixas possui um potencial muito grande, mas é preciso dominar a área e o sistema de drenagem. De acordo com ele, o manejo de solo é um dos fatores determinantes no desenvolvimento da soja na metade sul. Steckling apresentou as cultivares resultantes da parceria da CCGL Tec com o Irga (Instituto Rio Grandense do Arroz).

SIGEF e Mapas de Produção
Representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, da Fundação Pró-Sementes, da APASSUL e do Irga conduziram o debate sobre o SIGEF (Sistema de Gestão da Fiscalização), as inscrições de campo, os mapas de produção e a certificação de sementes.

O Fiscal Federal Agropecuário Francisco Gama esclareceu dúvidas sobre a inserção dos campos pelo SIGEF, prazos para encaminhamento das inscrições e taxas. Ele também ouviu sugestões dos participantes para aprimorar o sistema.

O engenheiro agrônomo Jean Carlos Cirino, da APASSUL, apresentou o novo programa online de mapas de produção. Resultado da cooperação técnica entre Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Comissão de Sementes e Mudas do RS e APASSUL, o projeto conta com o apoio financeiro da Fundação Pró-Sementes. O site www.mapasdeproducao.com.br entrará em funcionamento em 10 de setembro e ficará aberto por um mês para a inclusão dos mapas. O programa é aberto a todos os produtores de sementes do RS e as estatísticas serão encaminhadas para o Ministério. De acordo com Cirino, o objetivo é atender a uma demanda legal de forma simplificada.

Sobre o evento
O III Encontro de Produtores de Sementes do RS e Treinamento de Responsáveis Técnicos foi promovido pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), através do SEFIA/RS (Serviço de Fiscalização de Insumos Agrícolas/Superintendência Federal de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul) e CSM/RS (Comissão de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul), com o Apoio da APASSUL (Associação dos Produtores e Comerciantes de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul) e da Fundação Pró-Sementes de Apoio à Pesquisa. Contou com o apoio da ABRASEM (Associação Brasileira de Sementes) e da SAA (Seed American Association), bem como das entidades que constituem a CSM/RS: APASSUL, CREA/RS, EMATER, EMBRAPA, FARSUL, FEARROZ, FECOAGRO, FEPAGRO, FUNDACEP (CCGL Tec), FUNDAÇÃO PRÓ-SEMENTES, IRGA, MAPA (SEFIA e LANAGRO/RS), SARGS, SEAPA, SULPASTO, UFPel, UFRGS e UPF.

Fonte: Assessoria de imprensa do evento
Por Marianna Rebelatto

Rua Apassul, 10, Bairro São Geraldo
Passo Fundo - Rio Grande do Sul - CEP 99025-130
Fone: (54) 3314-1799 / Fax: (54) 3314-6123
apassul@apassul.com.br