Associação dos Produtores e Comerciantes de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul

Quinta-feira, 15/11/2018. Boa tarde. Seja Bem-vindo(a)!

Bolsa de Sementes

Consulte aqui a disponibilidade de sementes de nossos associados.

Legislação

Consulte aqui a legislação sementes/agrícola.

Associados

Área Restrita.

Esqueceu a senha?

Produtores finalizam plantio do arroz no Rio Grande do Sul - 14/12/2012

A semeadura do arroz já está concluída no Rio Grande do Sul, com as lavouras apresentando boas condições de germinação e desenvolvimento. Segundo o levantamento semanal da Emater/RS-Ascar divulgado nesta quarta-feira (12/12), as lavouras, em sua grande maioria, apresentam excelente aspecto quanto à sanidade, dando indícios de uma futura boa produtividade. Atualmente, os orizicultores estão realizando o manejo da irrigação, o controle de inços e a aplicação de fertilizante nitrogenado, assim como herbicidas em cobertura. O plantio da 1ª safra do feijão também está concluído, com as lavouras apresentando situações diversas causadas pelas intempéries ocorridas ainda no mês de setembro. Todavia, nos 12% já colhidos, os rendimentos têm se mostrado satisfatórios, ficando dentro das estimativas divulgadas. Nesse sentido, as recentes chuvas têm contribuído para a boa formação dos grãos nas lavouras que se encontram nessa fase e que, no momento, chegam a 36% do total. Essa situação também vale para as lavouras que estão em floração (20%). A maioria das lavouras de milho está em fase de enchimento do grão e floração, com bom aspecto geral, apesar da forte irradiação solar que, em alguns momentos, faz a folha retorcer-se. É intenso o processo de ensilagem em boa parte das lavouras que se apresentam em processo de maturação ou mesmo em fase adiantada de enchimento de grão, que representa 25% do total já plantado, alcançando, no momento, 90% do total previsto. A semeadura da soja foi retomada na semana de forma intensa, mesmo com os dias chuvosos. As áreas que ainda não foram plantadas ou são de agricultores com grandes áreas onde há demora em finalizar a semeadura, ou pertencem a pequenos agricultores com dificuldades de maquinário. A cultura vem apresentando boa germinação e emergência, com stand satisfatório de plantas e bom desenvolvimento vegetativo. Raros são os casos de morte de plântulas creditados às altas temperaturas do solo. Nas áreas mais adiantadas, estão sendo aplicados herbicidas pós-emergentes, assim como inseticidas, devido ao ataque de lagartas em algumas lavouras. Muito favorecido pelo clima, o caqui mantém-se em bom desenvolvimento, com planta de ótimo aspecto, sem ataque de pragas e incidência de enfermidades. Com o raleio concluído, alguns pomares desenham abortamento de frutas acima da média. Os produtores estão realizando adubações em cobertura e controle mecânico das ervas espontâneas. As temperaturas muito acima da média para a estação, a radiação solar abundante e a umidade relativa do ar baixa, associadas a escassas precipitações, molduram o panorama ideal para desenvolvimento do tomate, face à condição de ser praticamente toda irrigada. Os frutos apresentam ótima aparência e sabor. São raros os casos de incidência de enfermidades e poucos os ataques de pragas propiciam um número de pulverização bem abaixo do tradicional, impactando positivamente em diversos fatores. As chuvas das últimas semanas também favoreceram o desenvolvimento das pastagens cultivadas, assim como promoveram maior taxa de brotação dos campos nativos, aumentando consideravelmente a oferta de alimento para os animais. Os agricultores continuam realizando a semeadura das pastagens anuais de verão na maioria dos municípios do Estado, sendo que as principais espécies forrageiras anuais cultivadas são milheto, sorgo-forrageiro e capim-sudão. A produtividade de mel na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa tende a ser menor do que a registrada na safra anterior, pois a florada da primavera foi prejudicada pela ocorrência de chuvas intensas durante os meses de setembro e outubro. Em alguns municípios da microrregião de Três de Maio, no entanto, a produtividade de mel obtida até o momento é uma das melhores dos últimos anos. Também na região de Bagé, permanece o quadro de baixa produção de mel. Estima-se uma redução de aproximadamente 50% devido às condições climáticas (chuva e frio) adversas durante o período da primavera. Também há mortalidade de abelhas pelo uso de inseticidas (fipronil), principalmente no controle de formigas cortadeiras em lavouras de soja e sorgo. Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Pelotas, no município de Pedro Osório, há registros de quebra na safra do mel na ordem de 80%, cuja causa ainda não está bem diagnosticada, porém, tem-se atribuído à redução das floradas em virtude de condições climáticas adversas. Fonte: Emater/RS - Ascar

Rua Apassul, 10, Bairro São Geraldo
Passo Fundo - Rio Grande do Sul - CEP 99025-130
Fone: (54) 3314-1799 / Fax: (54) 3314-6123
apassul@apassul.com.br